Volta ao Mundo: Canadá


Enquanto Barney Stinson se pergunta por que deixam o Canadá ser um país, a gente faz uma viagem pela literatura de lá e se sente obrigado a explicar pra ele…


Canada
População: 34.019.000 (est. 2010)
Território: 9.984.670 km²
IDH: 0,913 (2014)

(mapa da University of Texas, dados da Wikipédia)


O Canadá tá ali do ladinho dos EUA. É uma grande potência e destino popular de intercâmbios, assim como os EUA. Foi colonizado pela Inglaterra e tem o inglês como língua nativa, assim como os EUA. Uma das maiores estrelas do country, gênero músical típico do sul dos EUA, é a Shania Twain, que é canadense. Sim, muitas semelhanças, muitas coisas se misturam. Mas os dois países separados pelas cataratas do Niágara estão bem longe de iguais.
Vamos começar com o fato de que no Canadá também se fala francês. Particularmente no Québec, ao leste, onde o francês é a língua nativa principal e o inglês, a segunda. Há inúmeras diferenças políticas, sobre as quais não vou entrar em detalhes pra não acabar falando besteira. E também pra não ficar monótono. Os canadenses e o Canadá são zoados em vários desenhos e seriados, como How I Met Your Mother (“os anos 80 só chegaram no Canadá em 1993”), Padrinhos Mágicos e especialmente South Park.

A diferença da qual eu vou falar aqui, no entanto, é que nós praticamente não lemos autores canadenses, enquanto consumimos uma quantidade absurda de literatura estadunidense. Foi por isso que, nas fases iniciais da pesquisa da Volta ao Mundo, decidi que precisava incluir o Canadá na viagem. Eram só três ou quatro de lá que eu conhecia — além do cara de nome complicado que escreveu os livros do Mass Effect, e o autor de Flashforward.

Aqui tem uma pesquisa muito interessante sobre os hábitos recentes de leitura dos canadenses — assim como a gente, eles tendem a usar os smartphones pra ler eBooks.

Agora uma ruma de autor canadense pra você escolher:

Bryan Lee O’Malley

O cartunista e quadrinista é natural de London, Ontario, e começou a estudar Cinema antes de entrar no mundo dos quadrinhos, no início dos anos 2000. Desde então, O’Malley foi letrista, ilustrador e escritor na área, além de ter feito a arte de capa do jogo indie Fez. Seu quadrinho mais conhecido, Scott Pilgrim Contra o Mundo, foi adaptado para o cinema em 2010, com Michael Cera no papel principal.
Um livro (ou três): série Scott Pilgrim Contra o Mundo

Alice Munro

Natural de Wingham, Ontario, a vencedora do Nobel de Literatura Alice Munro é considerada como uma das autoras mais importantes das últimas décadas, tendo revolucionado a arquitetura dos contos e presentado a arte escrita com um estilo e original, livre de amarras narrativas e cheias de emoção, sentimento e mensagens universais. Com uma prosa tida como incomparável, Munro sempre foi reconhecida pela excelência e a expressividade de seus trabalhos e a maneira como descrevem o mundo ao seu redor de uma perspectiva única. Traduzida e lida no mundo inteiro, é considerada como uma das artistas vivas mais influentes.
Um livro: A Fugitiva

Margaret Atwood

Atwood, nascida na capital Ottawa, é uma poeta, crítica literária, novelista e ensaísta premiada. Sua vasta obra recebeu mais de 55 prêmios, incluindo o prêmio Arthur C. Clarke de ficção científica, e uma estrela na Calçada da Fama canadense. A autora, que escreve poemas desde os seis anos, também se dedicou a estudar a identidade literária do país, se envolveu em diversos projetos ambientalistas e criou a tecnologia LongPen para assinaturas remotas. E isso não é nem metade do que ela realizou até hoje.
Um livro: O Conto da Aia

Kelley Armstrong

Natural de Sudbury, Ontario, Armstrong estudou Psicologia e Programação e publicou seu primeiro livro em 2001. Hoje, é um dos principais nomes da literatura YA de fantasia, com várias séries que entraram para os best-sellers do New York Times. No Brasil, apenas uma dessas séries foi publicada. A autora também tem um conto na antologia Beijos Infernais, de romances sobrenaturais.
Um livro: A Invocação (primeiro da série Darkest Powers)

L.M. Montgomery

Nascida na comunidade rural de Clifton, em Prince Edward Island, Lucy Maud Montgomery é uma das autoras mais conhecidas da literatura canadense, responsável por uma das séries de maior sucesso de todos os tempos, Anne de Green Gables, a autora se destacou ainda jovem e desde sua primeira publicação, que tomou de assalto apaixonadas (os) por literatura do mundo inteiro. Além disso, Lucy também escreveu centenas de contos e poesias, sua própria biografia e em conjunto com Marian Keith e Mabel Burns McKinley escreveu Mulheres Corajosas, uma obra fantástica fruto de uma extensa pesquisa histórica que conta a vida de figuras femininas fortes e determinadas. Premiada internacionalmente pela vastidão e a originalidade de sua obra, Lucy recebeu diversas honrarias em outros países, incluindo mais de um título da coroa Inglesa.
Um livro (ou uma série de livros): Anne de Green Gables

Michael Odaatje

Natural do Sri Lanka, Michael se mudou ainda jovem para o Canadá, onde concluiu a maior parte de seus estudos e de onde iniciou sua fantástica carreira literária. Conhecido pela qualidade de seus escritos e pela impressionante eloquência, Ondaatje foi responsável por diversas novelas e poesias, além de ter participado de inúmeros trabalhos de edição e revisão de grandes obras canadenses e estadunidenses, e de ter escrito diversos ensaios e críticas literárias e técnicas em relação ao cinema. Sua obra mais conhecida, O Paciente Inglês, é um clássico da literatura moderna, sendo adaptada para o cinema como um longa de enorme sucesso e repercussão. Envolvido com a publicação e a divulgação de autores desconhecidos, Michael ainda se decida à literatura e ao ensino de Literatura Inglesa, uma de suas profundas paixões.
Um livro: O Paciente Inglês

Margaret Laurence

Nascida em Neepawa, Manitoba, Jean Margaret Laurence é uma das escritoras mais importantes da literatura canadense de todos os tempos, além de ter sido responsável pelo processo de divulgação e encorajamento da literatura canadense através da ONG Writer’s Trust of Canada. Profundamente envolvida com o mundo acadêmico, Laurence demonstrava uma paixão fora do comum pela literatura desde a pré-adolescência, o que lhe garantiu a possibilidade de uma bolsa de estudos na Universidade de Manitoba. Autora de novelas, contos, livros infantis, ensaios, coleções e edições de histórias folclóricas somalis, reuniões críticas do trabalho de dramaturgos e novelistas nigerianos, além de publicações relacionadas à cultura africana e a situação de miséria de comunidades periféricas. Conhecida por seus laços com o movimento feminista canadense, Margaret não só mudou a face da literatura de seu país e das artes em geral, como levou à tona um discurso inclusivo e empoderador para a mulher.
Um livro: The Stone Angel (sem tradução para o português)

Joseph Boyden

Nascido em Willowdale, Ontario, Boyden foi aclamado logo no início de sua carreira com o seu primeiro livro, recebendo dois dos prêmios mais importantes da literatura canadense. Depois disso, seu percurso como escritor lhe garantiu mais destaque e mais prêmios, sendo laureado com homenagens e honras por cada uma de suas novelas. Além disso, Joseph é também conhecido por contos e principalmente por seu incrível trabalho contanto a história dos povos indígenas canadenses, reconhecendo sua importância e narrando de maneira vívida fatos históricos.
Um livro: Jornada de Três Dias

Jane Urquhart

Nascida em Little Longlac, Ontario, Urquhart é conhecida mundialmente pela qualidade e a sensibilidade inegáveis de suas novelas, contos e poesias. Premiada e reconhecida no mundo inteiro desde seu primeiro trabalho, a autora mistura um charme próprio de um estilo original com elementos sempre atuais, o que lhe garantiu uma legião de fãs principalmente na Europa. Com dupla graduação, em história da arte e literatura inglesa, Jane, além de tudo, ainda encontra tempo para se dedicar a ensaios e artigos acadêmicos.
Um livro: O pintor das Sombras

Leonard Cohen

Escrever sobre Cohen não é uma tarefa fácil. Nascido em Westmount, Quebec, ele é um dos artistas mais importantes e influentes do século XX e XXI, tendo criado e influenciado centenas de obras inesquecíveis. Multifacetado, Cohen é cantor, compositor, músico, pintor, poeta e novelista. Tendo explorado desde religião, política, isolamento, sexualidade e relacionamentos pessoais (inclusive o romance com Janis Joplin) Leonard foi imortalizado tanto no Hall da Fama Canadense, quanto no Hall da Fama do Rock and Roll dos Estados Unidos. Laureado com mais de cem prêmios e mais de dez títulos, Cohen iniciou sua carreira artística como escritor, entrando no meio musical muito tempo depois.
Um livro: Livro do Desejo
Bônus: Hallelujah, talvez a mais famosa de suas músicas

Heather O’Neill

Natural de Montreal, Québec, Heather é novelista, poeta, contista, roteirista e jornalista, premiada e reconhecida em cada uma das categorias de escrita em que se envolveu. Roteirista responsável por animações e longas canadenses também premiados, a canadense lançou sua primeira novela em 2006, atingindo reconhecimento imediato no mundo inteiro. Enquanto jornalista, Heather já escreveu para a The New York Times Magazine, o podcast This American Life, a CBC Radio, Rookie Magazine, Elle, Chatelaine, o National Post, o The Globe and Mail, a Toronto Star e, finalmente, a revista literária The Walrus. O’Neill é tida como uma das mulheres mais influentes do Canadá.
Um livro: Lullabies for Little Criminals (sem lançamento em português)

André Alexis

Natural de Porto de Espanha, capital de Trinidad e Tobago, André cresceu em Ottawa, a partir de onde desenvolveu uma sólida e fantástica carreira. Renomado no mundo inteiro, o autor iniciou sua carreira artística envolvido com o teatro, escrevendo peças que reverberaram em sucessos contínuos por todo o país. Com a bagagem cultural canadense, por viver desde muito cedo no país, Alexis escreve novelas que perpassam diversos estilos e conversam com diferentes tipos de leitores e leitoras. Seu mais recente trabalho, Fifteen Dogs, foi um estrondoso sucesso no mundo inteiro, figurando na lista dos mais lidos do NY Times durante várias semanas seguidas.
Um livro: Fifteen Dogs (sem lançamento em português)

Lisa Moore

Nascida em St. John’s, Moore iniciou sua carreira como artista plástica, substituindo aos poucos sua dedicação pela literatura, a que se dedica completamente nos dias de hoje. Autora de cinco novelas, seu estilo é cheio de metáforas inteligentes e um ritmo próprio que falam de assuntos relativos à miséria humana através de experiências pessoais e impessoais. Premiada desde seu primeiro trabalho, Lisa é considerada uma das mulheres mais influentes do Canadá, além de advogar mundialmente por uma literatura feminina de peso.
Um livro: Alligator (sem lançamento em português)

Esi Edugyan

Nascida em Calgary, Alberta, filha de imigrantes ganenses, Esi estudou escrita criativa na Universidade de Vitória e na John Hopkins University antes de iniciar sua carreira na literatura. Dona de um estilo fluido e cativante, a autora mistura elementos étnicos e culturais a seus trabalhos, sempre encaixando parágrafos muito bem montados através de uma musicalidade única que remete ao blues e ao jazz.. Lida praticamente no mundo inteiro, Esi é dona de uma escrita única e recheada de raízes pessoais – marcas presentes em suas três novelas.
Um livro: Half blood blues (sem lançamento em português)

Carol Shields

Nascida nos Estados Unidos, sua vida literária começou após sua mudança para o Canadá, depois de seu casamento. Multifacetada, Carol escreveu novelas, contos, poesias, peças, críticas, ensaios, biografias, antologias e roteiros para o cinema, além de ensinar em diversas universidades canadenses ao longo de sua vida. Conhecida mundialmente por suas várias coleções de histórias curtas, Shields advogava pelo direito das mulheres e por uma maior representatividade cultural e artística.
Um livro: Os Diários de Pedra

Yann Martel

Filho de diplomatas canadenses e nascido em Salamanca, na Espanha, Martel cresceu em ambientes multiculturais incríveis, tendo morado na Costa Rica, México, França, Alasca e, finalmente, Canadá, onde passou a maior parte de sua vida e adquiriu sua formação média e superior. Formado em filosofia na Universidade de Trent em Peterborough, Ontario, o autor passou vários anos de sua vida adulta viajando entre o Irã, a Turquia e a Índia, lugares onde entrou em contato com textos de diversas religiões e histórias pouco conhecidas no ocidente. Conhecido pelo sucesso arrebatador A Vida de Pi (adaptado aos cinemas por Ang Lee), Yann é um sucesso no mundo inteiro, sendo laureado em vários países pela qualidade de suas obras.
Um livro: A Vida de Pi

* A princípio, íamos incluir o autor e professor David Gilmour na lista. O motivo de ele não estar aqui é a natureza machista, homofóbica e xenófoba de suas declarações e parte de seu trabalho. Isso apareceu na pesquisa e não vou entrar em detalhes porque não é necessário. Mas nem eu nem o Felipe nos sentimos confortáveis divulgando esse tipo de pensamento, e acredito que o pessoal do ConversaCult e do Proibido Ler pense da mesma forma.

E aí, faltou alguma coisa? Já sabe o que vai ler? Comenta aqui embaixo ou no grupo do Desafio no Facebook! :)

Anúncios

4 comentários em “Volta ao Mundo: Canadá

Obrigada por ler! Não quer deixar um comentário, não? :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s