Balanço “do Mês” – Junho e Julho


É verdade, eu não fiz esse post em junho. Achei que devia colocar junto com o mês seguinte no mesmo post, já que estava de férias e juntando os dois teve MUITA COISA. Teve final de semestre, teve final de série, teve ler Vampire Academy em uma semana… teve até perder a lista do Desafio Literário quando derrubei Coca-cola na minha mesa. E isso sem contar o show dos Backstreet Boys. Lá vai.

Foram 11 livros e 1 quadrinho começados e terminados. 1 livro começado e não terminado.

Primeiro, continuei meu lento progresso na série O Guia do Mochileiro das Galáxias (Douglas Adams) com A Vida, O Universo e Tudo Mais. Basicamente, venho lendo a série bem aos poucos desde 2012 e, sim, isso pode ser uma vergonha. Porque são livros pequenos, a série é divertidíssima e nada nela envelhece — nem as maravilhas do nonsense, nem as críticas irônicas do Douglas Adams, nada. Mas uma parte bem grande de mim gosta de dar uma pausa grande entre cada um deles, e é o que acabo fazendo, o que é bom porque sempre tenho algo novo do Guia pra esperar. Algum dia, amigos, eu termino. Algum dia.
O segundo foi O Casamento do Céu e do Inferno, clássico de William Blake que foi citado até em Revenge. Uma palestra de um professor convidado na faculdade e uma promoção na Hedra me deram um empurrãozinho pra ler dessa vez. E, considerando que é poesia, foi escrito séculos atrás e há diversas referências e citações à Bíblia, posso dizer que era aproximadamente 130% fora da minha zona de conforto e foi uma leitura difícil. Confusa. Tinha que ler em inglês, em português e pegar as notas do tradutor em certos pontos — a edição, aliás, foi bem maravilhosa. O que, é claro, fez da leitura um tanto mais enriquecedora. Pretendo voltar a ela no futuro.
O quadrinho foi Girl Comics, feita por uma seleção de histórias feitas por artistas femininas da Marvel. Elas são centradas nas nossas personagens femininas preferidas, escritas e desenhadas por mulheres e intercaladas com homenagens a mulheres que ajudaram a tornar a Marvel o que é hoje. Muito, muito legal.

Girl Comics não tá aqui, porque foi emprestada. Mais ou menos emprestada, na verdade. Li quando estava na casa de um amigo aqui em SP, não cheguei a levar comigo.
Girl Comics não tá aqui, porque foi emprestada. Mais ou menos emprestada, na verdade. Li quando estava na casa de um amigo aqui em SP, não cheguei a levar comigo.

A primeira leitura de julho foi Por um Toque de Ouro, primeiro da Trindade Leprechaun, primeira trilogia da Carolina Munhóz. Quantos primeiros. Foi minha primeira compra de junho também, já que bem no comecinho do mês teve evento do livro em Campinas. E eu gostei um monte, desde o fato de a protagonista ser alguém mais difícil de gostar e diferente do que a maioria de nós está acostumado até o final cliffhanger. Adorei como foi trabalhada a lenda do leprechaun, a ambientação e os personagens. O plot twist principal também comprovou a minha teoria de que os autores, quando passam a escrever séries, viram pessoas cruéis que gostam de causar sofrimento nos leitores. Minha gente, só isso explica. Mas eu até desconfiei, alguns vários capítulos antes da revelação, de que tinha algo errado. [Spoiler >> “algo aqui não tá fazendo sentido, um desses dois tá trabalhando contra ela, só não sei se é o melhor amigo ou o namorado”, pensei eu.]
E, depois de começar série nova, fui continuar umas mais velhas. Li Destinada, NONO (!) volume da série House of Night, de PC e Kristin Cast. A essa altura, eu não lembrava exatamente o que tinha acontecido nos anteriores, e a história fica cada vez mais maluca, dando voltas nela mesma sem chegar a lugar nenhum. Sinceramente espero que possa acabar os próximos três logo, mas, como ninguém do meu círculo de amizades liga mais pra essa série, preciso comprar tudo antes. Oh, well.
Daí o que eu compro em vez disso é Isla e o Final Feliz, o que parece ser o fim da “trilogia” de Stephanie Perkins sobre a SOAP — “School Of America in Paris”. É um livro bem diferente do que me lembro dos outros dois em dois aspectos: 1) o fato de a protagonista sempre ter sido apaixonada pelo cara em questão; e 2) ser bem menos fofinho e mais ~físico~. Isso pode e deve ser por que gostei menos dele que dos outros dois. Mas, ainda assim, é divertido e leve e os personagens são demais. A presença de Anna e Lola no fim, fechando o ciclo, é bem legal, e eu adorei o fato de o cara ser o Josh, porque já conhecemos ele.

Depois, me propus um desafio. Aproximadamente uns 10 dias antes da viagem de volta pra casa, resolvi acabar de ler a série Vampire Academy (Richelle Mead), que comecei em 2010 e não tinha continuado. É claro que precisaria reler os dois primeiros, pra não arriscar não lembrar de detalhes, e foi bem melhor assim, porque pelo jeito eu não lembrava mesmo de nada. Depois do primeiro, até revi o filme — sobre o qual a Nilsen comenta muito bem aqui.

Sobre o que comecei e não terminei: Rainha Vermelha, da Victoria Aveyard. Mais sobre ele quando acabar.

Então vamos falar sobre essa ideia de ler VA inteira em uma semana. Deu certo?

lidos-vampire-academy
Deu. Por incrível que pareça, o único que não acabei no mesmo dia em que comecei foi o primeiro, o menor. Ameacei começar a releitura de O Beijo das Sombras no sábado, mas comecei de fato no domingo e acabei na segunda. Revi o filme logo depois. Eu realmente não lembrava como era legal e diferente a história, e reler o primeiro me deu a força que precisava pra devorar a série. Daí em diante foi um por dia, tenha ele 300 ou 500 páginas: terça, Aura Negra; quarta, Tocada pelas Sombras; quinta, Promessa de Sangue; sexta, Laços do Espírito; sábado, Último Sacrifício.

Depois da série inteira, tenho alguns comentários principais:

  • O mais legal dela é que, mesmo ficando mais maluca com o tempo, não se perde e consegue ter um final redondinho. Em comparação a outras séries de fantasia, especialmente de vampiros, é um feito enorme.
  • Uma observação é que ficou muito claro pra mim que, apesar de Rose e Lissa serem as protagonistas, a série gira em torno do Dimitri. Começa quando ele entra na vida delas, a divisão dos livros é em grande parte baseada em fases da vida dele e é ele que move as ações da Rose. A única exceção é o último livro.
  • A Rose é uma protagonista sensacional — inclusive no filme. Eu gostei do filme. Gostaria de ver uma sequência.
  • Fiquei feliz de saber que a série spin-off segue Adrian Ivashkov, porque… QUE PERSONAGEM!

4 livros comprados. 3 livros e 1 quadrinho que eu ganhei.

No começo de junho, como falei lá em cima, fui no evento de lançamento de Por Um Toque de Ouro, da Carolina Munhóz, em Campinas. Teve bate-papo com ela e o Raphael Draccon, sessão de autógrafos e fotos. E, além dos brindes da Rocco (buttons, livreto e um mini pôster), ainda ganhamos moedas de ouro de chocolate. ♥
A edição do livro é MARAVILHOSA, rola textura na capa, detalhe dourado e interior dourado. E não tenho nem palavras pra essa capa. Quero ver como vão sair as próximas da trilogia!

compras-por-um-toque-de-ouro

Na livraria em Aracaju, não resisti e comprei Isla e o Final Feliz, que eu e minha irmã queríamos ler. Até falei sobre a leitura lá em cima. O grande problema é essa capa nova, que, apesar de ser mais bonita, destoa completamente das antigas da série. E não faz o menor sentido ela ser a única opção. É muito frustrante, especialmente porque não é culpa da Novo Conceito (editora antiga no BR) nem da Intrínseca (editora nova no BR). Eles só usaram as capas originais, e as capas originais mudaram.
Enfim, continuando… em algum momento de junho, teve uma promoção de uma hora no site da Hedra, em que vários títulos ficaram com 50% de desconto. Aproveitei pra comprar O Gato Preto e Outros Contos, do Poe, e O Casamento do Céu e do Inferno, do William Blake. As edições da Hedra são bem bonitas e a do Blake é bilíngue.
compras-junho-julho-2015

Um dos meus amigos de Aracaju também aproveitou a promoção, e aproveitou pra me dar presentes quando cheguei lá. São eles: O Horror de Dunwich e A Sombra Vinda do Tempo, do Lovecraft. E Felipe sabia que eu não tinha lido nada do Lovecraft e resolveu dar um empurrãozinho. Muito válido. Quem sabe assim eu aproveito o Elder Sign melhor quando for jogar?
O quadrinho (que vai aparecer lá embaixo na foto) é o Universo Marvel 022. Eu ainda não tinha visto pelas bancas/livrarias e estava com saudades da Capitã Marvel. Felizmente, o namorado sabia disso e fez questão de comprar quando encontrou. ♥
E, encerrando, Destinada (do qual falei ali em cima) eu não exatamente ganhei. Mas estava com crédito sobrando no Plus do Skoob e pensei “por que não?”. Ele chegou em junho e por isso entrou aqui.

ganhos-junho-julho-2015

Progresso nos itens do desafio: 32/50 (+ 5)

  • Um livro com mais de 500 páginas:
    Último Sacrifício
  • Um livro com antônimos no título:
    O Casamento do Céu e do Inferno
  • Um livro com uma cor no título:
    Aura Negra
  • Um livro escrito há mais de 100 anos:
    O Casamento do Céu e do Inferno
  • Um livro que se passe em um lugar que você sempre quis visitar:
    Isla e o Final Feliz (Nova York)

No mais…

…ainda foram meses bem legais pras séries. Veja bem, além de acabar Arrow e Flash, consegui acabar Breaking Bad, ver toda a primeira temporada de Jane The Virgin E AINDA começar Sherlock e Attack on Titan e voltar a Dexter. Minha gente, eu amo as férias.
Comentários rápidos:
* Flash e Gotham (e Demolidor e Unbreakable Kimmy Schmidt) disputando meu coração no quesito “melhor série em exibição atualmente”. Arrow caiu mas tenho boas expectativas pra quarta temporada.
* Breaking Bad tem alguns dos melhores momentos da TV em To’hajilee e Ozymandias. O finale (e tudo nele) é genial, mas menos marcante que esses dois. Hank, Jesse, Skyler, Walt Jr e Mike moram no meu coração.
* Jane the Virgin pega tudo que tem de bom nas novelas e tudo que tem de bom nas séries e bate no liquidificador. No mais, zoa tudo que há de tosco nas novelas. Os personagens, em especial Rogelio de la Vega, e as atuações são A+. Alguém dá todos os prêmios da Terra pra Gina Rodríguez e pro Jaime Camil?
* Sherlock é o novo amor da minha vida. Mais surtos quando eu acabar as três temporadas.
* Tinha esquecido o quanto gostava do Dexter.
* Ver animes em japonês tendo que acompanhar legendas em inglês é cansativo, mas por alguns como Attack on Titan vale a pena.

E os seus meses, como foram? :)

Anúncios

3 comentários em “Balanço “do Mês” – Junho e Julho

  1. Eu amo tanto esses posts de balanço. É incrível como parece uma coisa clichê, que todo mundo faz, mas continua totalmente interessante quando feito pelas pessoas certas. Esse foi especialmente bacana, senti a necessidade de comentar aqui :B

    Não tenho muito o que dizer, já que não li nada do que você citou ): O mais próximo que cheguei foi de Capitã Marvel, mas tenho problemas fortes com esses mixes da Panini e não vou pagar por várias revistas sendo que só uma me interessa :\\ Dinheiros em falta. (Comprei uma HQ do Batman em capa dura pelo mesmo preço que essa D: Saudades, variedade de opções). De qualquer forma, preciso dizer que seu comentário sobre Por Um Toque de Ouro foi bem motivador, me fez considerar comprar na bienal desse ano :P (caso eu consiga mesmo ir).

    Não ando lendo muito (o que me deixa muito frustrado porque FACULDADE EM GREVE DEVIA ESTAR LENDO TUDO O QUE TEM AQUI EM CASA), mas tô aproveitando pra ~tentar~ terminar umas séries também. Em junho li A Escolha, que foi o mesmo caso de amor e ódio de sempre (pendendo mais para o segundo nesse caso), e agora tô lendo A Casa de Hades. Tomara que dê pra terminar alguma, tô me coçando pra começar outras séries e não quero ler mais do que meus limites de memória e sanidade permitem :P

    Adoro esses posts, Jessy, continue fazendo :)

    Curtir

    1. Obrigadaa, João! :D Vou continuar inclusive porque também amo esses posts. hahahahahahah
      Como assiiiim não tá lendo, menino? O que a greve traz de bom é tempo pra fazer essas coisas. Acho que 2014 foi o ano que mais li na vida. A não ser que você ande ocupado, tipo trabalhando ou vendo séries, o que é justificável e faz sentido. hahahahahah Sobre A Escolha… tem umas 50 (?) páginas dele que são absolutamente descartáveis, só de bipolaridade involuntária. Se não me engano, as 50 antes dos 2 capítulos finais. Do fim propriamente dito, que são esses dois capítulos, eu gostei, mas o jeito que chegou àquilo não foi muito bom não. A Herdeira é TÃO melhor que a primeira trilogia… tenho boas expectativas pras continuações. E do Percy Jackson eu parei no terceiro da série original, faz muuuuito tempo, então não sei o que dizer. ):
      E sim, é complicado isso dos mixes, por isso que leio poucas séries. Mas é assim na editora original também se você comprar os volumes em vez dos números avulsos, são os mesmos volumes. Com certeza é uma divisão interessante, mas a gente entenderia/aproveitaria melhor se acompanhasse tudo, e não há dinheiros e tempo pra isso porque né. Bom mesmo nesse quesito é série de outro universo, tipo Fables, ou minissérie fechada, como Daytripper/Watchmen. ♥

      Curtir

Obrigada por ler! Não quer deixar um comentário, não? :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s