Desafio literário para 2015: checklist


Eu disse que viria com um novo desafio. :)

Encontrei o original neste post do 9gag. Não sei há quanto tempo está rolando, muito menos quem é o autor original, só sei que está lá. [Edit: graças à Mari, descobri que aparentemente o desafio original é do Popsugar e está neste post.] Traduzindo pra minha mãe, resolvi adaptar umas coisinhas e acabei com o texto deste PDF que você pode imprimir bonitinho como eu vou fazer.

Pra ficar claro, como é uma checklist, eu interpretei que um livro só pode englobar várias dessas características, o que facilita um monte. E, dependendo de quanto você lê, impede que você passe o ano lendo em função do desafio, o que diminui a pressão e a probabilidade de cansar disso no meio do ano. Ou algo do tipo.
Como um amigo ilustrou quando compartilhei o desafio original no Facebook: “Por exemplo, você já leu Musashi? Se não, é um livro excelente que passa muito rápido e tem 1000 e poucas páginas. Nisso você mata um livro originalmente escrito em outra língua, baseado numa história real, com mais de 500 páginas, um livro que um amigo recomendou, livro de um autor que você nunca leu, que se tornou um filme, baseado em sua capa (dependendo da edição, óbvio), com uma palavra no título.”
Agrupando, você acaba lendo livros mais diferentes ainda do que está acostumado e pode terminar a lista em menos tempo.

Agora vamos falar sobre os itens.

  • Um livro com mais de 500 páginas é algo que dá pra matar com um da série Harry Potter, por exemplo. Com ele, você pode riscar da lista ainda Um livro que virou filme, Um livro com personagens não-humanos, Um livro engraçado, Um livro cujo autor seja uma mulher… e, especialmente, Um livro com mágica.
  • Um livro que você pode acabar de ler em um dia depende muito do seu ritmo. Comigo, Meg Cabot sempre funciona. A maior parte dos dela se qualifica para Um livro que se passe no colegial também.
  • Um romance clássico é aquele item que diz “não tá na hora de ler Jane Austen, não?”. Pelo menos foi o que disse pra mim.
  • Um livro que foi originalmente escrito em outro idioma não é sempre fácil para os americanos/ingleses (apesar de um clássico francês sempre resolver), mas para a maioria de nós é quase um ponto bônus. Afinal, a literatura estrangeira domina o mercado.
  • Um livro banido eu achei que seria difícil. Mas aí encontrei esta lista (em inglês) com livros que já foram banidos em algum país/estado ou que ainda sejam atualmente. Mein Kampf seria uma escolha óbvia, mas até Alice e O Diário de Anne Frank estão na lista.
  • Dado o estado dos nossos best-sellers (em especial a literatura infanto-juvenil), com Uma trilogia é praticamente certo que você já mate Um livro com um triângulo amoroso também. Eu, por exemplo, devo ir de The Infernal Devices. Se você quiser englobar Um livro que se passe no futuro, pode procurar séries de distopia, como Matched, Chemical Garden ou até The Hunger Games. Várias delas se enquadram também em Um livro com título de uma palavra.
  • Um livro publicado neste ano é facílimo. Dar uma olhada na seção de Lançamentos de uma livraria grande no meio do ano é uma ótima maneira de garantir que seja um lançamento de 2015, por exemplo.
  • É fácil achar Um livro publicado no ano em que você nasceu. Sejamos honestos. O que nem sempre é fácil é o livro ser do seu estilo, mas sempre é possível achar. Pra mim, por exemplo, a Wikipédia deu esta página (em português) e esta página (em inglês). E aí eu posso escolher o livro que deu origem ao filme Jumper, As Valquírias, Quando Nietzche Chorou ou até reler Escrito nas Estrelas, e esses são só alguns dos conhecidos em uma lista imensa. Que eu não fazia a menor ideia de que eram de 1992.
  • Um livro com críticas negativas nem sempre é um livro ruim. Mas sempre há Crepúsculo, que pode matar mais uns três itens da checklist.
  • O primeiro livro de um autor popular geralmente pode levar Um livro escrito por alguém com menos de 30 anos junto. E, muitas vezes, Um livro de um autor que você nunca tenha lido antes também. É só escolher um autor novo de quem falem muito, procurar saber qual foi seu primeiro livro lançado e ver qual a idade do autor na época.
  • Quando pensei em Um livro que se passe no Natal, lembrei instantaneamente de dois. Inclusive, se enquadram em Um livro de contos ou crônicas também (coloquei “contos ou crônicas” porque vejo que livros como Adultos Sem Filtro, da Thalita, se encaixariam no original “short stories”, mas não são contos; são crônicas). Deixe a Neve Cair, com o ~queridinho do mundo todo~ John Green, e O Presente do meu Grande Amor, que não li ainda, mas sei que tem Holly Black, Ally Carter, Rainbow Rowell e Stephanie Perkins.
  • Falando na Stephanie Perkins, ninguém melhor que ela pra ilustrar Um livro que se passe em um lugar que você sempre quis visitar e Um livro que se passe em outro país: Anna e o Beijo Francês se passa em Paris, Lola e o Garoto da Casa ao Lado se passa em Nova York e Isla e o Felizes para Sempre, nessas duas e também em Barcelona.
  • Posso dizer que tive sorte com Um livro cujo autor tenha as mesmas iniciais que as suas. Posso ler aqueles do John Green que ainda não li, quase todos os quais se encaixam em Um livro que um amigo recomendou. Mas pra algumas pessoas é bem difícil. ~partiu compartilhar nos comentários o que você encontrar, pois pode ajudar alguém que encontre o post no futuro~
  • Talvez o mais difícil pra mim seja Um livro que fez você chorar. Não a parte de encontrar um livro emocionante, mas a de me emocionar com ele. Uma escolha segura é reler Thirteen Reasons Why/Os 13 Porquês, talvez o único livro que tenha me feito chorar (sem ser de rir) na vida. De bônus, ele ainda é Um livro com um número no título. Aí não preciso continuar a série Legados de Lorien, de Eu Sou o Número Quatro, pra matar esse item.
  • Um livro que a sua mãe ame não é difícil pra quem compartilha boa parte da estante com a mãe (e, nesse caso, cai em Um livro que você tem, mas nunca leu de certo modo). Na verdade, não é difícil de jeito nenhum. É só dizer “mãe, me empresta seu livro preferido?” e tudo certo.
  • Um mistério ou suspense talvez caia bem com Um livro que assuste você. Se você for do tipo que toma muitos sustos. Tipo eu. Pode ser a minha chance de acabar um livro do Stephen King.
  • Um quadrinho ou graphic novel parece difícil pra você? Daytripper, dos gêmeos incríveis Fábio Moon e Gabriel Bá. Nem pensa, só vai. É a melhor coisa que você vai ler em muito tempo.
  • Eu gostaria de ter coragem pra matar Um livro que você começou a ler, mas nunca terminou com Guerra dos Tronos. Mas vou agrupar com Um livro que você deveria ter lido na escola e não leu, com A Hora da Estrela.
  • É importante distinguir Um livro de não-ficção de Um livro baseado em uma história real e de Um livro de memórias. O livro de memórias pressupõe que a pessoa que está contando a história viveu o que está contando. Junta isso com o livro de não-ficção e você tem uma autobiografia. O livro de não-ficção essencialmente conta uma história real, sem inventar nada, enquanto o baseado em uma história real pressupõe alterações, como o filme Titanic fez com a história real. É claro que você pode não combinar os itens pra não ficar confuso.
  • Um livro com antônimos no título é complicado. Alguns colocam “garoto” e “garota” como antônimos. Não são. Têm o mesmo significado. Então não vale Garoto Encontra Garota, por exemplo. Mas “morte” e “vida” (como em Morte e Vida de Charlie St. Cloud e Morte e Vida Severina), sim. Ou “love” e “hate” como em Love You, Hate You, Miss You.
  • Se você já leu a obra inteira de cada um dos seus autores preferidos, Um livro que você ainda não tenha lido de um autor que goste muito pode ficar difícil. Tem que arranjar um novo preferido quando completar o item do autor que nunca leu. Se não, é realmente fácil.
  • A trilogia Curse Workers, da Holly Black, além de ter capas lindíssimas e se enquadrar facilmente no Um livro que atraiu você pela capa, é uma boa opção para Um livro com uma cor no título: os livros se chamam White Cat (Gata Branca), Red Glove (Luva Vermelha) e Black Heart (TBA).
  • Uma das categorias é Um livro que ganhou o prêmio Pulitzer *. Minha escolha (bem lembrada por uma amiga) vai ser To Kill a Mockingbird. Mas o Pulitzer, além de ser predominantemente um prêmio jornalístico (como o nosso prêmio Esso), não faz parte da nossa cultura aqui, vamos falar a verdade. Temos o prêmio Jabuti no Brasil, por exemplo. Então resolvi acrescentar um * ou Jabuti. E, como já estava mudando a categoria mesmo, adicionei um * ou Michael Printz. O prêmio Michael Printz, de literatura infanto-juvenil, tem como ganhadores passados gente como Meg Rosoff e John Green. Você pode ver ganhadores passados do Pulitzer aqui, do Jabuti aqui e do Printz aqui.
  • Um livro da sua infância é muito muito particular. Apesar de, para boa parte da minha geração, não haver opção melhor que Harry Potter, eu escolheria algum da série A Turma dos Tigres. Outros amigos, Os Karas. Puxa aí da memória que você encontra.
  • Vamos tirar um momento para falar como Um livro baseado em, ou que deu origem a, uma série de TV é uma categoria de opções infinitas. De cabeça eu tenho Gossip Girl, Dexter, How to Teach Filthy Rich Girls, Outlander, The Vampire Diaries, Pretty Little Liars, Sex and the City, The Carrie Diaries, mais os livros inspirados em Revenge, Roswell, Gilmore Girls e Supernatural. Dá pra passar o ano inteiro nessa categoria, de verdade.
  • Você que é esperto e procura uma desculpa pra ler alguns clássicos vai juntar Um livro escrito há mais de 100 anos com Uma peça. Ou não. Enquanto só na primeira podemos ir até a Ilíada, com as duas juntas temos Édipo Rei e qualquer coisa do Shakespeare, por exemplo.
  • Admito que Um livro que se passe na sua cidade natal * pode ficar bem difícil também. No Brasil, além de consumirmos mais literatura estrangeira, produzimos literatura nacional em cidades fora do país, às vezes inclusive fictícias. Por isso, dependendo da sua cidade, talvez fique impossível de achar algo. Nesse caso, existe o adendo * ou estado. Mas não faz sentido expandir mais que isso, ou descaracteriza o desafio.
  • Por último, Um livro do fundo da sua lista de leitura. Pensa naquele livro que você comprou há mil anos, ganhou de aniversário, falou pro amigo que “um dia” leria, já leu em outro idioma ou que, por qualquer outro motivo, passa a vida adiando a leitura. Chegou a hora.

Já estou: imprimindo a lista.
Outra coisa que pretendo fazer é ir anotando embaixo de cada categoria em um doc o que, entre minhas leituras do ano, se encaixa nela.

E você, que desafio propôs pra si mesmo em 2015?

Anúncios

3 comentários em “Desafio literário para 2015: checklist

Obrigada por ler! Não quer deixar um comentário, não? :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s