The Hunger Games x Divergent


EBA, POLÊMICA!

Vamos lá. Eu me sinto fã de The Hunger Games desde que li o primeiro livro, lá no começo de 2009, quando nunca tinha ouvido falar dessa história de distopia. Depois ele começou a fazer barulho. Muito. E aí uns 2 anos depois surgiu Divergent, que também começou a fazer muito barulho. Alguns chamaram de cópia, outros disseram que era melhor ainda, mas o que interessa é que agora elas são provavelmente as duas maiores trilogias de distopia que temos por aí. Eu enrolei, enrolei, peguei livro emprestado, enrolei, enrolei, devolvi, enrolei, enrolei mais um pouco e só agora resolvi ler. Adorei. Mas precisava me organizar e comparar para entender melhor essa história de cópia, e é nisso que entra este post.
Preciso começar dizendo que não vou me preocupar em sinalizar spoilers porque, se você chegou até aqui, deve ter lido as duas séries completas ou realmente não ligar pra spoilers. Se não se encaixar em nenhuma das categorias de pessoas, está avisado. Salve o post nos favoritos e volte aqui depois de ler, pra comentar comigo se esqueci algo. Porque, lembrando, isso é o que vi, pensei e lembro agora. Posso estar totalmente errada e/ou ter esquecido coisas importantes. Edits provavelmente virão.

477702_416791695004154_159746560708670_1894317_265658295_o

divergent_chicago_city-2880x1800

1. O Universo

É preciso ter em mente que estamos falando de distopia. Quantas delas foram “inspiradas” por The Hunger Games, nunca saberemos, nem interessa. [exceto a tal da Girl In The Arena. come on.] Até porque esse não foi o primeiro livro do gênero. Mas todas as distopias que eu li têm algo muito forte em comum, que é o ambiente pós-apocalíptico. Além disso, o governo que fica totalmente controlador por medo de repetir os erros do passado e o clima de revolução são recorrentes. Essas são semelhanças DO GÊNERO. Que você pode encontrar de alguma forma em Chemical Garden (♥), Matched (♥), Slated (♥) ou n outras séries. Mas geralmente todas essas características são desenvolvidas de formas diferentes em cada livro/série.

• Semelhanças

As semelhanças particulares são, ao meu ver, principalmente duas. A primeira é a questão da divisão da população, cada uma dessas divisões sendo responsável por algo na sociedade. Em um, os distritos, que fornecem bens para a capital, no outro, as facções, que cuidam de determinadas áreas na sociedade. Das diferenças dentro disso eu cuido depois. A segunda é a iniciação dos Dauntless, que por si só quase equivale à arena dos Hunger Games. Isso percebemos já no primeiro livro.
Os seguintes nos mostram mais semelhanças superficiais, como o fato de o governo, ou um líder em particular, estar escondendo algo muito importante sobre o mundo onde vivem. O fato de o Distrito 13 estar “vivo” e eles fugirem pra lá equivale à saída dos Allegiant atrás do que há além da cerca do experimento de Chicago e ao encontro do Bureau. Lá, eles também descobrem um novo inimigo. No 13, a presidente Coin, tão cruel e controladora quanto o Snow. No Bureau, o conselho, que não liga quantas vidas tira ou apaga, desde que possa salvar seus experimentos e os divergentes “geneticamente puros”. Isso também acontece em outras séries de outra forma.

• Diferenças

Achei interessante a divisão da sociedade em Divergent. Apesar de a parte da divisão em si ser familiar por The Hunger Games, as duas são feitas de forma totalmente diferente e com objetivos diferentes também. A única semelhança é que distritos e facções não costumam interagir uns com os outros. Em Panem, é tudo voltado para o bem-estar dos habitantes alienados da Capital e mascarado pelo governo totalitário como forma de controlar os habitantes dos distritos. Os distritos fornecem bens para a Capital, cada um deles tendo sua especialidade predefinida há muitos anos. Ninguém muda de distrito. E a pobreza e os Jogos servem pra controlar a população e impedir revoltas.
No experimento de Chicago, é tudo sobre as pessoas, idealmente divididas em facções de acordo com sua personalidade. Mais tarde, é revelado que é um problema genético que distingue certas características. Quando as facções foram criadas, havia cinco “grupos” de pessoas, que se dividiram em cinco facções de acordo com o que culpassem pelos “problemas da humanidade”. Os que culpam covardia (Dauntless) são responsáveis por segurança e situações de risco de vida em geral; os que culpam guerra e conflitos (Amity) são auto-suficientes e responsáveis pelas fazendas; os que culpam egoísmo (Abnegation) são líderes, por pensarem no bem coletivo em vez do individual; os que culpam desonestidade (Candor) trabalham na área do Direito, por falarem a verdade; e os que culpam ignorância (Erudite) são cientistas, professores ou algo relacionado. Até os 16 anos, você vive com seus pais, onde eles escolheram, mas aos 16 você faz um teste de aptidão para descobrir aonde deve ir de acordo com sua personalidade. Dessa forma, não é o trabalho de todos para favorecer alguns, mas uma divisão feita com o propósito de beneficiar toda a população. Só é um conceito complicado de explicar a quem não leu o livro. Eu não tinha entendido muito bem até ler.
The Hunger Games NUNCA meteu genética na história, exceto nos bichos mutantes da primeira arena. Isso é uma diferença essencial. Mas tem uma premissa muito mais simples de entender que Divergent e, enquanto eu gosto da divisão feita no segundo, isso é definitivamente um ponto a favor do primeiro. Quer dizer, olha o tamanho do parágrafo que eu levei pra explicar!

katniss-triss

2. Protagonistas

Tanto Katniss quanto Tris são fortes e têm um jeito badass. Há pelo menos UM momento em cada série em que você fica feliz de ver uma delas chutar a bunda de alguém que merecia. Mas há boas diferenças e outras semelhanças.

• Diferenças

Ponto básico para distinguir Tris e Katniss: Tris parece querer ser mártir, enquanto a luta de Katniss o tempo inteiro é de sobrevivência. Sim, há várias semelhanças, mas a diferença fundamental é o desejo de viver. Katniss não entra nos jogos, apesar de tudo, pensando em morrer. Ela pensa que a única chance da irmã é que ela viva e isso a motiva. Mesmo em Catching Fire, onde pensa que não tem a menor chance e sua ideia é salvar Peeta, ela entra na arena disposta a lutar. Tris não quer morrer em vão, mas não se importa em morrer, e faz coisas ridículas como ir de encontro à morte por vontade própria mais de uma vez.

• Semelhanças

As motivações para seus atos de coragem vêm do mesmo lugar: as duas querem salvar os mocinhos e têm fortes razões familiares.
Tris, depois do ataque aos Abnegation que tira a vida dos seus pais, quer vingá-los, inclusive como forma de se aproximar da memória deles. Quer descobrir o que foi tão importante a ponto de eles darem a vida pra proteger. E, no meio-tempo, se apaixona pelo Four e fica arriscando a vida pra salvar a dele nas raras vezes em que precisa.
Katniss entra na história toda pra salvar a irmã, Prim, de uma morte terrível na arena. Afinal, a guria só tem doze anos e não tem a menor chance de sobrevivência, enquanto Katniss é uma caçadora treinada em sobreviver que tem tudo pra ganhar se a sorte estiver do lado dela. No meio-tempo, encontra um jeito de salvar o Peeta da morte na arena, desafiando a Capital durante os Jogos, e o faz sem pensar duas vezes. Ao longo da série ela ainda se joga na frente de um chicote pra salvar o Gale e entra na arena uma segunda vez disposta a fazer o Peeta ganhar, por exemplo.
E eu relaciono a mãe sem nome e ausente da Katniss como uma traição tão forte pra ela quanto a mudança de lado do Caleb, irmão gênio e arrogante da Tris. E, sim, os dois “voltam a si” e tentam se redimir depois.

SHAILENE WOODLEY stars in DIVERGENT

Gloss_dies

3. Mortes

Na real as semelhanças e as diferenças andam juntas aqui, mas dividi só pelo hábito e pra não ficar um só bloco enorme de texto.

• Semelhanças

Deuses, como morre gente nessas histórias. Em The Hunger Games, quase todas as mortes são de responsabilidade da Capital. Todos os tributos, mais os mortos no bombardeio do Distrito 12, mais os rebeldes como o velhinho do Distrito 11, mais o Cinna, mais todo mundo que morre na revolução tipo o Finnick, tudo isso é porque houve alguma espécie de desafio ao poder da Capital. Em Divergent não é lá muito diferente, já que nenhum dos “líderes” mede esforços nem mortos pra deixar tudo “em ordem”. Seja Jeanine, Marcus, Evelyn, David ou mesmo Nita. Mas lá tem gente se matando de depressão por achar que não vai sobreviver à iniciação, tipo o Al. Depressão não é mostrada em The Hunger Games dessa maneira, aparecem mais traumas pós-Jogos e pós-guerra que depressão. Só a mãe da Katniss, que parece ser a depressiva que quer desistir de tudo, mas não teria coragem de se matar.

• Diferenças

Essencial diferença: em Divergent (ou Allegiant, no caso) a protagonista não vive pra acabar de contar a história e por isso temos um novo protagonista. Uma amiga se referiu à morte da Tris como “tão anticlimática como a da Prim”. O que é muito.real. Frustrante de verdade na hora. Mas, ao contrário da Prim, que dá início à história toda quando a irmã vai salvar sua vida, a Tris praticamente pediu a série inteira pra morrer. Passou a série inteira louca pra se jogar na frente de uma bala pra se salvar alguém. Exceto justamente naquele terceiro livro. Lembra alguém? O nosso padeiro preferido, nos dois primeiros livros, faz de tudo pra dar sua vida pra salvar a da Katniss. No terceiro chega a tentar matá-la. A diferença é que, bom, ele vive. E a Katniss também.

KPTF.png

4. Romance e Mocinhos

• Diferenças

O romance de Divergent tem a vantagem de não conter nenhum protótipo de triângulo amoroso. É Tris e Four desde o começo, até o fim e depois. É um pouco irritante o número de brigas sérias que esses dois têm por motivos estúpidos, e também um pouco irritante que quando há motivos decentes eles se perdoam sem muitos problemas.
Em The Hunger Games, a vantagem é o romance não ser tão central na história, coisa que eu gosto mais. A Katniss é mais motivada pela sobrevivência da irmã que a Tris por vingar os pais. Gale e Peeta são, até certo ponto, coadjuvantes que Katniss salva e usa na sua jornada eterna pela sobrevivência. Four é protagonista. A história também é dele.
Isso leva a outro ponto. Os mocinhos. Four leva uma enorme vantagem porque entramos na cabeça dele e acompanhamos o drama dos pais, os traumas da infância e a ânsia de se provar o tempo inteiro. Mas ele sabe ser tão chato, inclusive como narrador, que só ganha do Gale porque todo mundo é melhor que Gale. Peeta, o padeiro bonzinho, transformado pelas torturas da Capital, que lutou e voltou a viver normalmente, ainda ganha dos dois.

• Semelhanças

Velho, tem romance no meio da revolução. Não há muito mais a dizer. Isso consome páginas preciosas, mas pode ser legal se o autor souber expressar, deixá-lo relevante, mas não central.

Screen Shot 2014-04-10 at 10.39.30 PM

5. Estrutura

• Semelhanças

Maior semelhança: como sempre, o segundo livro é o melhor. O início dos dois terceiros se arrasta um pouco. Mas Allegiant passa mais tempo arrastado que Mockingjay. Apesar de os dois terem a mesma estrutura básica, a diferença é que Allegiant parece enrolar muito e resolver tudo muito rápido, enquanto Mockingjay é lento e frenético o tempo todo. Dito isso…

• Diferenças

Minha sábia amiga que falou da morte anticlimática da Tris também percebeu uma coisa importante sobre a estrutura da série. Eu li com isso na cabeça e não pude deixar de perceber também. Divergent e Insurgent passam a impressão de que eram um livro só, bem gigante, mas provavelmente a editora achou que não iria vender um livro de mil páginas pra adolescentes e soltou um “dá uma mexida aí e faz uma trilogia”.
O que mais me fez pensar sobre isso enquanto lia: exceto o mais pesado do começo da iniciação, toda a ação do primeiro livro, concentrada no final, é curta, resolvida rapidamente, como se não devesse estar ali ou na real fizesse parte da primeira metade de um livro. A simulação de ataque, por exemplo. Os dois primeiros livros são facílimos de emendar um no outro, como se fossem um só. O terceiro tem outro clima e até mesmo outra estrutura narrativa, visto que agora o Four narra metade dos capítulos. Os dois primeiros são frenéticos, o terceiro arrasta, como se enrolando.
Sobre The Hunger Games, a Suzanne Collins já disse que era pra ser um livro só, mas escrevendo percebeu que a história ficaria melhor dividida. Não sei como ela planejava fazer antes, mas estava certa. A história é lenta em alguns momentos, mas não arrastada, e ficou muito bem dividida. Em nenhum momento dos livros você pensa “hmmm isso não deveria estar aqui”. Exceto, claro, quando o Finnick morre.

No fim das contas

Nunca se sabe, mas eu não classificaria nada como cópia. Ainda prefiro The Hunger Games, mas adorei a leitura de Divergent e obviamente as duas séries têm seus méritos e defeitos. O timing de lançamento foi suficientemente bom pra uma vir logo depois da outra, e posso ver que em pouco tempo vem (se já não veio) uma nova série pra preencher o “buraco” depois que as duas acabaram.

Dados

• A trilogia The Hunger Games, Catching Fire e Mockingjay foi lançada em 2008, 2009 e 2010 pela Scholastic. No Brasil, em 2010 e 2011, pela Rocco. Os dois primeiros filmes, em 2012 e 2013, e as duas partes de Mockingjay saem em 2014 e 2015, pela Lionsgate/Summit e Paris Filmes no Brasil.
• A trilogia Divergent, Insurgent e Allegiant foi lançada em 2011, 2012 e 2013 pela Katherine Tegen Books. No Brasil, em 2012, 2013 e 2014, também pela Rocco. O primeiro filme saiu em 2014 e os seguintes saem em 2015, 2016 e 2017, também pela Lionsgate/Summit e Paris Filmes no Brasil.

Anúncios

4 comentários em “The Hunger Games x Divergent

  1. Você falou no twitter do CC quando a gente tava falando sobre a bienal que era “outro nível” (ou alguma coisa assim), aí fiquei pensando em ler o que você escreveu, aí vim aqui e… WTF. Isso é muito legal! Adoro esses tipos de textos.

    Eu fiquei um pouco igual a você quanto a Divergente, lembro que tinha ouvido falar, fiquei interessada, mas depois ouvi uma garota na livraria falando “Tem esse Divergent agora, dizem que é melhor” e eu fiquei COMO ASSIM. Aí fui ler cheia de raiva e… gostei demais. (não mais que HG, mas acho que são diferentes..)

    (Não conhecia esse Girl in the Arena, mas parece até sacanagem, hein? ;x)

    Sabe que eu nem tinha reparado na relação Distrito 13 e o Bureau, nem da estrutura parecida dos 3º livro dos dois.

    (aliás, eu nunca tinha pensado que talvez os dois sejam baseados em ~arenas~ onde as pessoas são observadas)

    Acho muito legal que a Tris e Katniss não sejam exatamente parecidas. Nenhuma dela foge da briga, mas acho que dificilmente a Katniss daria um tiro na perna do Peter como a Tris faz. Aliás, você vê que a relação Caleb-Tris é meio insincera por causa da certa artificialidade imposta, enquanto a relação Prim-Katniss é só amor justamente em proteção contra a “artificialidade” do mundo.

    E tem uma coisa que eu pensei aqui… Por mais que a Katniss sempre se voluntarie para proteger quem ama, o livro é meio que uma crítica à necessidade disso acontecer. Aliás, acho que a morte da Prim depois de tudo o que a Katniss fez e o que acontece com o Peeta é só uma forma de mostrar o lado problemático disso. Não é como se você tivesse realmente salvando alguém ao dar sua vida pela dele. E depois de tudo o que a Katniss faz… ela termina sozinha. (aí vem o Peeta, que também termina sozinho, e eles acabam conseguindo se aproximar. mas depois de literalmente salvar o país eles são abandonados para morrer sozinhos. e acho que essa visão é relacionada à toda relação da Suzanne com a guerra) Já a Tris vira uma heroína ao fazer isso, não que a Veronica seja inocente, é nesse momento que a Tris vira uma personagem indispensável, porque também é uma forma de crítica a todos os atos heróicos que nós vemos em livros YA: às vezes é um caminho sem volta. De verdade. Não que isso seja ruim, porque não é assim que o livro mostra, mas é um lembrete de que os heróis não são imortais e isso é importante diante dos outros livros que nós lemos que nunca mostram isso com o protagonista.

    Essa relação entre a morte da Prim e a morte da Tris é linda, eu nunca tinha pensado nisso também.

    Também tem uma coisa interessante que eu preciso comentar: sobre essa questão de dividir em facções e distritos, eu adoro que nessas versões distópicas essas divisões que nós vemos em livros como Percy Jackson e Harry Potter que são, tipo, uma forma da gente encontrar o lugar no mundo; nesses livros elas são coisas que limitam. Em Jogos Vorazes eu adoro porque elas não significam absolutamente nada – “sou do distrito 7!” significa o que sobre mim? que eu gosto de madeira???????? agora seu falar que “eu sou da grifinória” já é uma coisa totalmente diferente. Em Divergente as definições não são vazias, mas elas são extremistas e mostram que nós não somos realmente uma coisa só.

    Aliás, acho que tá por aí a maior diferença dos livros. Divergente é uma enorme discussão sobre quem nós somos e o que nos torna assim. Apesar de Jogos Vorazes ter lá suas abordagem sobre isso, ele é mais em mostrar o efeito da guerra (do governo, da propaganda, de um modo de pensamento “de guerra”) sobre a vida das pessoas. Dizer que eles são cópia… é não ver nem metade do que os livros estão dizendo.

    Realmente adorei esse post e me fez pensar em muitas coisas que eu nem teria pensado. Escreva mais coisas assim, por favor <3

    (li esse post mais cedo essa semana toda e tava esse tempo todo querendo vir aqui <3)
    (e eu me dei conta de que já conhecia o random!)

    Curtir

    1. “Acho muito legal que a Tris e Katniss não sejam exatamente parecidas. Nenhuma dela foge da briga, mas acho que dificilmente a Katniss daria um tiro na perna do Peter como a Tris faz.”
      Exato! A Tris, eu acho, sente necessidade de se afirmar como corajosa por causa da criação como “Stiff”. Principalmente pra ela mesma. Mas não só pra ela. Pra inspirar respeito com os Dauntless, por exemplo, às vezes só usando violência. Pra Katniss é diferente, com violência só se ganha o respeito dos alienados da Capital e olhe lá, e ela não gosta de usar. (Coisa que os filmes pegaram perfeitamente com o trauma de matar o Marvel. Aliás, preciso ver o filme de Divergent pra ampliar a visão desse universo.)

      “é um lembrete de que os heróis não são imortais e isso é importante diante dos outros livros que nós lemos que nunca mostram isso com o protagonista”
      SIM SIM SIM! <3 E por isso eu achei uma coisa muito bonita matar a protagonista. Especialmente porque ela criou a personagem assim, pedindo pra morrer o tempo inteiro.

      Sua definição das divisões: zero defeitos. Era algo assim que eu queria passar mas você explicou bem melhor e de uma forma mais profunda hahahahah <3
      Acho o máximo os ~grupinhos de fãs~ de THG se dividindo em Distritos e se chamando de Tributos como se isso fosse algo bom. (mas fiz o teste de aptidão de Divergent e, graças a deus, deu Amity e Erudite)

      "Dizer que eles são cópia… é não ver nem metade do que os livros estão dizendo."
      Pois é. É essa a conclusão a que se chega lendo as duas séries com a mente aberta. Aposto que 90% de quem fala isso deixou de ler uma das séries e se ateve a uma crítica mal-humorada de um fã da outra na internet.

      E prometo tentar escrever mais alguma coisa interessante. Mas não dá pra depender muito da minha criatividade, então serão coisas aleatórias nesse meio-tempo hahahahahah
      (To me sentindo importante. De verdade <3)
      (E já conhecia? Bom, ele existe há uns mil anos, é preguiça/vergonha minha que não saio divulgando mesmo :x)

      Curtir

  2. Aham, a relação dela como Stiff e transformação. Aliás, quando a gente vê o lado do Four fica mais claro o lado inseguro dela e como ele ajudou (e daí como ela começa a fazer o mesmo com ele). (e eu nunca tinha aceitado esse lado de “necessidade de se afirmar” dela até você falar agora ;x)

    Assiste o filme que eu quero ver a sua opinião! Eu gostei de como eles amarraram muita coisa, reforçaram outras que não são tão claras no livro. E os de Jogos Vorazes com o Marvel <3 Na verdade, acho que com tudo, lembro de ver uma cena dos tributos antigos e pensar "caramba, são um monte de pessoas machucadas" e é bem isso pra mostrar.

    E… apesar de tudo, eu ainda to esperando a Veronica escrever um livro dizendo "era brincadeira, aqui a Tris" HAUHAUHAUHAUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAH

    Acho que é porque eu já tenho pensado nessa divisão faz um tempo, mas precisei do seu post pra poder amarrar a ideia. Eu lembro de quando decidiram o nome "tributos", acho que a gente conversava na comunidade da taylor??? só lembro que não gostei e me recuso a ser chamada de tributo. SOU TRIBUTO NADA. *tira foto de costas igual a Katniss!!!111* Eu acho legal que se dividir em distrito nuuunca funciona, é meio brochante. (Amity e Erudite?? que bonitinho <3 Eu sou Dauntless, Abnegation e Erudite, mas se ficasse em um acabaria no Dauntless, e eu odeio quão clichê isso é….)

    Exatamente.

    Faz a criatividade depender de você(????????), mas ficarei feliz com coisas aleatórias também
    (Você é importante. o.õ Por que não seria??)
    (Acho que eu devo ter visto em algo da comunidade da Taylor…)

    Curtir

    1. Eu não tinha pensado como eles se ajudaram! Acho que é porque ele continua chato. E eles como casal continuam chatos. Mas ela, por exemplo, fica menos suicida. Hmmmm. (discussões são: lindas <3)
      E eu amo adaptação/transmídia bem-feita. De verdade. Essa expansão do universo me deixa muito feliz (????????). Quase chorei de emoção com a sacada das nightlock pro Seneca no primeiro filme.
      E acho que sim que a gente conversava lá no Culturaylor, ainda tentando fazer o resto daquela comunidade ler THG. Melhor tópico do mundo. Saudades, Orkut. E adorei meu resultado do Divergent <3 COMO VOCÊ ACABARIA NO DAUNTLESS? Gente, que coragem hahahahah E nem posso falar nada de clichê porque também tirei foto de costas com trança igual à Katniss, indo pra estréia do primeiro filme.
      Sobre criatividade: WAIT FOR IT. mwahahahahah

      Curtir

Obrigada por ler! Não quer deixar um comentário, não? :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s